Conta-me

Cuéntame Como Vives, Cómo Vas Muriendo “Cuéntame cómo vives; dime sencillamente cómo pasan tus días, tus lentísimos odios, tus pólvoras alegres y las confusas olas que te llevan perdido en la cambiante espuma de un blancor imprevisto. Cuéntame cómo vives; ven a mí, cara a cara; dime tus mentiras (las mías son peores), tus resentimientos […]

Descoberta do dia

“O verdadeiro sentido das palavras é que o poema consiste em falar do que não pode ser dito a quem se quer dizer ou o verdadeiro sentido das palavras é que o poema consiste em não falar do que pode ser dito a quem se quer dizer ou o verdadeiro sentido das palavras é que […]

Placidamente

A multidão em fúria passeia placidamente nas ruas da cidade, de mente plácida, plácida mente, enquanto os homens que orientam placidamente a multidão em fúria que placidamente passeia nas ruas da cidade., procuram furiosamente as soluções plácidas que orientarão a multidão em fúria que, placidamente, passeia nas ruas da cidade, de mente plácida, plácida mente, […]

Atreve-te a julgar

“Atreve-te a julgar. Julga os outros julgando-te a ti mesmo. A natureza das coisas é a tua natureza. Respira-te, despe-te, faz amor com as tuas convicções, não te limites a sorrir quando não sabes mais o que dizer. Os teus dentes estão lavados, as tuas mãos são amáveis mas falta-te decisão nos passos e firmeza […]

Roubar é feio, bem sei… mas, às vezes, é tão tentador…

One Art The art of losing isn’t hard to master; so many things seem filled with the intent to be lost that their loss is no disaster, Lose something every day. Accept the fluster of lost door keys, the hour badly spent. The art of losing isn’t hard to master. Then practice losing farther, losing […]

Dos sonhos, das memórias, do existir, re-existir e resistir…

Acordar. Acordar contrafeita, contrariada por querer dormir mais. Acordar lentamente  com um zapping espreguiçado e inconsequente. De repente, parar. Despertar. Escutar. Sentir. Fazer sentido. (ou como hoje fui despertada por Manuel Rivas, via televisão) “Somos lo que soñamos ser Y ese sueño, no es tanto una meta Como una energía Cada día es una crisálida […]

Planta alta e trigueira

As plantas acenavam ao vento de agosto, nas suas hastes finas e verdes. E disse-me a mais faladora de todas, alta e trigueira: – Dás-me dez anos da tua vida? Eu só tinha cinco anos, pus-me a contar pelos dedos, vi que ia ficar com muito pouco. – Dou — disse eu. E ainda hoje, que […]