Só eu sei porque (para a próxima) fico em casa…

Passei a tarde de domingo em casa de uns tios. Boa conversa. Excelente lanche. Estava a preparar-me para vir embora, quando a minha tia se lembra que eu podia ficar lá em casa a ver o jogo. Disse-lhe que não. Pelo menos tentei. Mas ela insistia que, apesar de não ligar nenhuma a futebol, ía ser bom e que o ambiente ía ser calmo e familiar. Ainda tentei recusar, mas as insistências da minha tia não admitem escusas. Ainda que contrariada, pensei que até poderia ser divertido: eu e o meu tio portistas, a minha tia e os meus primos sportinguistas, uma prima que diz que não tem clube e um senhor, de bigode farfalhudo, amigo dos meus tios que apareceu em cima da hora do jogo porque-não-está-para-aturar-os-chulos-da-sporttv e que é benfiquista. Apesar de não gostar muito de ver futebol na televisão com tanta gente, pensando bem nunca tinha visto qualquer jogo com estas pessoas pelo que a experiência até poderia ser interessante. Estava a preparar-me para me sentar quando o meu tio, em tom de aviso, me diz “Isto vai ser difícil!”. Não sei porque, mas na altura pareceu-me que não estava propriamente a referir-se a futebol… Mal me sento, o amigo dos meus tios, o bigodaças, lança sem apelo nem agravo “Então, na terça aquilo é que correu bem, não?!”. O meu tio ficou imóvel, ignorando-o completamente. Segui-lhe o exemplo. Aliás, descobri que o meu tio, quando vê jogos em casa, aconteça o que acontecer ignora tudo e todos. O bigodaças continuava “4 secos!”, longa gargalhada, “o esseelebe é que é equipa. Com o ‘Reilhês’, o ‘Aimari’ e o mister Quique ninguém nos pára. Benficaaaaaaaaaaaaa”. Eu e o meu tio nada. O homem só se calou quando os meus primos se instalaram: “Ficaste cá, Susana? Já sabes como vai ficar, não é? 2-0, 2-0, 2-0!!!!”. Aiiiiiiiiiii o caraças onde eu me vim meter…. O bigodaças e os meus primos só são interrompidos com um “vamos lá a ter calma” da minha tia que, entretanto, tinha à espera um sofá só para ela. Ela explicava-me que quando era mais nova é que se entusiasmava e muito, mas que agora não ligava puto a futebol. Os meus primos riram-se. Eu não percebi.

Soa o apito, começa o jogo. Falam (muito e alto) todos ao mesmo tempo. Não consigo ouvir os comentários. Mas também, quem é que quer ouvir comentários do Paulo Torres? De repente, olho para o lado e vejo a minha tia transfigurada. Credo! O FC Porto marca. Juro que nem festejei. A minha tia parecia louca. Nem o líder de uma claque deve viver um jogo assim. Ele era gritos, bocas, insultos. Esbracejava e esperneava por todo o lado (devia ser por isso que tinha um sofá só para ela…). O Sporting empata. Podia jurar que à minha tia só lhe faltava a tocha e os petardos. Juro! Onde eu me vim meter, Deus do céu. O meu tio continuava impávido e sereno, como que ausente de todo aquele cenário. O Bruno Alves prepara-se para marcar o livre e eu sei que vai ser golo. E foi! Os meus primos já transformavam faltas no meio campo em penalties. O bigodaças clamava contra a arbitragem, contra o Porto, contra o Sporting, contra o Rodriguez, contra o Sócrates, contra o Cavaco, contra a OPEP e contra o vizinho da frente. A minha prima cada vez que via o Sapuranu perguntava-me sempre “Oh Susana, este Lucho é interessante, não é?” De todas as 327 vezes que perguntou, respondi-lhe que aquele não era o Lucho. Em vão! Todos a falar ao mesmo tempo. Surreal! Parecia uma cena de um filme sobre uma família italiana de malucos. Meu Deus, quem me tira daqui? O suplício das bocas do bigodaças continuava. Os meus primos já só falavam do Stojkovic e do Vukcevic. A minha prima insistia que o Lucho era o Sapuranu (Jesus!). O meu tio continuava na dele. A minha tia continuava num frenesim qual ultra num qualquer campo de futebol. Mas esta gente não se cala???? Com a desculpa de ir a casa de banho, fujo (literalmente!) para outra divisão da casa, onde acabo a “ver” o jogo através de uma relato manhoso num rádio que mais que velho, já devia estar podre. Acaba o jogo. Ganhamos! Agora só tenho que voltar sã e salva para casa. Volto para a sala. O meu tio está visivelmente satisfeito, embora continue calado. A minha prima, como se tivesse descoberto a pólvora naquele preciso instante, diz-me “Oh Susana, afinal aquele que eu dizia não era o Lucho!!!”. Pois… O bigodaças felizmente já não estava. Os meus primos diziam à boca cheia que até que enfim que o FC Porto ganhava ao Sporting e tal. Pois… A minha tia parecia ter voltado à normalidade. Agora dizia que o Sporting era uma equipa de meninos, que o Paulo Bento nem falar sabia e que ainda bem que já não ligava muito a futebol que assim não se enervava. Pois… Despeço-me. A minha tia insiste que temos de repetir. Pois… O meu tio acompanha-me à porta e segreda-me “Eu não te disse que ía ser difícil?!” Pois… “Mas ganhamos!”. Pois… valha-me ao menos isso!

Imagem daqui

Anúncios

2 comentários a “Só eu sei porque (para a próxima) fico em casa…

  1. chiça!!!! estavas entregue às feras…socorro!

    E de uma benfiquista para uma portista: estive SEMPRE a torcer pelo FCP (torço sempre, menos quando é contra o Benfica ehehehe)…estiveram bem e ganharam justamente (só peca por defeito) 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s